sábado, 27 de maio de 2017

Extintas Rosas

Eram duas rosas brancas
na mesma terra geradas.
Rosas brancas... puro branco...
A acalentar-me em estradas.

Passei pela vida afora,
sob a pureza das duas.
Rosas brancas... puro branco...
Rosas de sóis e de luas...

Tombaram, porém, um dia,
as rosas brancas do amor.
Rosas brancas... puro branco...
As rosas de minha dor!

Rosas brancas, rosas minhas!
Tanto tempo não as sinto...
Rosas brancas... puro branco...
E o coração meu retinto!

Rosas brancas, meu passado
de segurança, de laço.
Rosas brancas... puro branco
Sem vocês o que é que eu faço?

Agora o silêncio é imenso
no lugar onde estou... só...
Rosas brancas... puro branco...
Minha mãe e minha avó!