sábado, 11 de setembro de 2010

QUERO



Provar este amor
feito dádiva.
Construir sonhos,
loucos castelos,
onde nossas almas errem
_ livremente _
como fantasmas nebulosos,
ocultos...
Criar ilusões, 
ainda que inconsequentes.
Cometer todas as imprudências,
recometê-las,
duplicá-las.
Possuir o todo na íntegra
_ indivisível _
belo, majestoso.
Sentir manhãs,
tardes, 
noites,
como desprovidas de horas
_ interligadas _
na unidade de um momento.
Provar este amor
como o todo:
impossível à razão,
livre,
simples,
mas exato ao coração.
                                          


terça-feira, 7 de setembro de 2010

Rui Barbosa

“A falta de JUSTIÇA (inclusive a social), Srs. Senadores, é o grande mal de nossa terra, o mal dos males, a origem de todas as nossas infelicidades, a fonte de todo o nosso descrédito é a miséria suprema desta pobre nação”.

“A injustiça, Senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem, cresta em flor o espírito dos moços, semeia no coração das gerações que vem nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade, promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas”.

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver se agigantarem os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”
                                      
 NÃO AGUENTO MAIS A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE!