quarta-feira, 2 de março de 2011

Mais sobre Educação...

Na educação, progressos lentos

Relatório da Unesco alerta para analfabetismo de adultos
O Globo
O Brasil é o oitavo país com a maior população de adultos que não sabem ler nem escrever, com 14 milhões de analfabetos. Esse dado foi divulgado ontem pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e compõe o Índice de Desenvolvimento da Educação (IDE).
O estudo mostra que há 796 milhões de adultos analfabetos em todo o mundo, a maioria vivendo em dez países.
A Unesco reconheceu o esforço do país para diminuir o analfabetismo. Entre 2000 e 2007, 2,8 milhões de adultos foram alfabetizados e, de 2004 a 2009, o índice caiu 1,8%.
— Mas o Brasil precisa trabalhar em ritmo mais acelerado para cumprir sua própria meta de 2015, que é reduzir o analfabetismo a 6,7% da população — ressalta Fontani.
Segundo a Unesco, o Brasil melhorou seu desempenho na educação, mas não conseguiu deixar a 88 posição no ranking internacional.
O IDE mostra que o Brasil tem um dos índices mais baixos da América Latina, ficando em 19 lugar e perdendo para todos os países da América do Sul. O Brasil melhorou seu índice de 0,883 no ano passado para 0,889, este ano.
— O Brasil está no caminho certo, mas falta muito para atingir as metas de 2015 e 2016, que são colocar todas as crianças na escola e diminuir o analfabetismo de adultos — diz Paolo Fontani, coordenador da Unesco no Brasil. 
 Enviado por Ricardo Noblat
Aparte meu: O tal caminho certo nunca cita o aumento do  salário dos professores... Por que será? Discriminação? Esquecimento? Desvalorização? Ou para a maioria das pessoas ser professor é uma "vocação", um "sacerdócio". Ou é prazeiroso demais, que ele se esquece de si mesmo e da família de quem tem que cuidar?????? Paolo Fontani, você estudou,não é?