sábado, 13 de maio de 2017


MÃE

Mãe, neste dia que é só teu, inteiro,
quero um presente que, tão lindo e rico,
possa servir-me como mensageiro
do mais profundo amor que te dedico.

Mãe, se eu pudesse ter em mãos estrelas,
com que prazer eu t´as entregaria,
se percebesse em tua face, ao vê-las,
a sombra mais sutil de uma alegria...

Mãe, se eu pudesse transformar em riso
os dissabores que te fiz passar!
Por ser criança, ainda, sem juízo
eu tantas vezes já te fiz chorar...

Mãe, se eu pudesse ter do sol o ouro
eu t´o daria e, ao te ver sorrir,
compreenderia que neste tesouro
o meu amor eu pude traduzir.

Mãe, se eu pudesse dar-te o infinito,
o azul do céu e o brilho do luar,
escolheria o que de mais bonito
neles houvesse... só para te dar...

Mãe, neste dia todo teu _somente_
e em teu amor tão puro e tão profundo
quero dizer-te que hoje _e eternamente_
amo e respeito as Mães de todo o mundo!
     


(Renovo minhas lembranças hoje, 13 de maio de 2017, com esta poesia escrita pelo dia das Mães, em 10 de Maio de 1970, em homenagem a minha mãezinha, falecida em 21 de maio de 1997, aos 84 anos de uma vida plena de amor)