quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Adeus

               
Foge de mim! Eu não te posso amar.
Vai! Segue distante a tua estrada e, só,
sem olhares __ jamais__ atrás de ti,
procura não lembrar o nosso amor
e o quanto, sem querer, eu te feri...

Busca na vida um novo sonho. Parte!
Esquece o mal que te causei e a dor
que, ao lado meu, provaste, sem motivo.
O meu amor, inconsequente e amargo,
só te arrastou, tornando-te cativo...

Liberta-te, afinal, dessa magia
que te prendeu e foge! Ainda há tempo...
Destrói no coração toda lembrança
que te restar dos nossos bons momentos
e segue adiante em teu caminho. Avança!

Hás de encontrar na vida outros amores
que te farão feliz como não pude
e hás de sorrir, lembrando-te de mim,
porque te amei demais e te afastei,
precipitando o nosso amor ao fim...

Aceitarei calada a indiferença
que, então, terás por mim, por meu amor.
Mas, se a saudade  te encontrar sozinho,
pensa que, enquanto estavas te afastando,
eu te segui... por todo o teu caminho...