quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Insana!


De triste tornei-me insana.
A vida não faz sofrer!
A alma que mora em mim,
Esta sim, errando sempre,
põe-me os dentes a ranger.
Sair de mim! Ah, meus sonhos...
Vi-te neles tão pequeno
como te tornaste, eu insone.
Dói-me estar desperta e ver
o que sonhei não ser sonho.
O rancor, se em mim espalha,
que me chego a sentir lúcida...
Já chega com tudo isso!
Sou insana, sei ser insana.
Nasci para ser insana!
O sofrimento é uma marca
que a nada mais justifica!