domingo, 3 de outubro de 2010

Desvairios



Sou um ser para além
das armadilhas que me plantaram
Escapei com vida de todas elas
e sento-me a reviver o que findou.
A vida, besta desgovernada, leva ao nada
e deixei de ser o que não fui
apenas porque não o quis ser.

A crueldade da vida...
O frio da saudade de ser
A angústia de não querer ter
Mais do que isso é só viver
sem rumo, sem horizonte.
Perpendicularmente ridícula
é a vida que não tenho.
Destino?
Vou me arranjando em não ser...