domingo, 3 de outubro de 2010

Paz

Tanto desejei a paz
no conforto dos teus braços
no som límpido do teu riso largo
no calor do teu corpo
no som dos teus lábios quentes
nas tuas juras de amor...
Mas tudo ficou no passado
e, por estas coisas do destino,
vivo a vida em solidão
sem a tua presença desejada
sem nada...