domingo, 3 de outubro de 2010

Sensibilidade



O meu silêncio suporta
todas as palavras contidas
que não ousei dizer.
A garganta seca
traduz o esforço inominável
de nada permitir passar, 
nem um eco,
nem um murmúrio,
do turbilhão que me vai na alma.
Tanto a dizer...
Sufoco a dor,
calo o amor,
mas sou traída pelo olhar
que espelha o vendaval
e o revela
aos que, sensíveis,
têm o dom de captar
meu verdadeiro eu,
minha alma nua...