domingo, 10 de outubro de 2010

Amor de sonho



Impus a mim mesma a obrigação de te esquecer
Este amor, marcado pela distância,
Louco amor, ainda que profundo,
teria que ser morto, por mais que em mim vivesse...
O amor, quando irreal, não se alimenta
nem se permite haver, se a um só contenta...
E, assim, procurei viver sem tua imagem,
sem mesmo acreditar que te encontara um dia
transpondo a minha estrada,
rompendo o silêncio da minha vida...
Eu nada consegui... depois de tanta luta,
longe de te esquecer, eu, mais ainda
Amei a tua imagem com ternura infinda...
Mesmo que a solidão agora em mim mais pese,
infiltrando-se em minha alma já cansada
não lutarei contra ela um só momento.
Hei de fazer do amor que vive em sonho
a inspiração dos versos que componho...