domingo, 10 de outubro de 2010

Á distância...


 
Há um estertor de medo no silêncio
e um espasmar de angústia na saudade
e um delirar de confusão no espanto
e um soluçar de dor em cada pranto...
 
Há um divisar na ausência um bem não visto
e um renovar de pensamentos gastos
e um reviver momentos num momento
e um lacerar de fibras num lamento...
 
Há um revelar de sentimentos vivos
e um desejar presente o que é passado
e um lastimar um sonho inacabado...
 
Há tudo isso em mim; a dor e o pranto
e a solidão e o desespero e a ânsia
e um grande amor por ti... mesmo à distância...